quinta-feira, 7 de abril de 2011

Cá vos espero (II)

6300 milhões é o que se espera que Espanha enterre em Portugal, isto claro se o peditório nacional for de “apenas” 75 mil milhões, número que provavelmente será revisto em alta para perto dos 100 mil milhões.

Mas o que realmente me faria feliz era ouvir da boca de Zapatero que os espanhois não se devem preocupar, é que ainda vão ganhar muito dinheiro com o empréstimo que vão fazer a Portugal. Enquanto isso não acontece vou ter que ir comendo a pipoquinha ao sabor das palavras dos subalternos, you guessed it: “A Espanha não é Portugal”.

Para ser justo, é um pouco diferente... é uma mistura de socialismo português com um buraco bancário irlandês.

5 comentários:

McWeepeR disse...

Gostei da sua caracterização da Espanha - Socialismos Português com buraco bancário irlandês. Eu diria que o filme ainda agora começou... a a cena do terror mete tourada e máfia italiana em conjunto. Vamos ver que é que o mercado começa a abater primeiro.

eurisko disse...

Na minha opinião até Novembro 2011 (no max final do ano) vamos ter um mau documentário sobre touradas.
Depois disso um excelente filme de mafiosos italianos, com muita acção!

Sérgio disse...

Epá... será que depois ainda haverá bilhetes para o filme dos Mafiosos Italianos? Não será que a Tourada Espanhola vai deitar a baixo a Arena Europeia? Não me admirava que os Alemães voltassem as costas e já não tivessem paciência (euros) para o outro filme.

eurisko disse...

Pois por isso referi que o filme de mafiosos ia ter muita acção!

No entanto hoje as notícias matinais, EUR em máximo de 16 meses?!?!

Não será falacioso neste momento dizer o EUR está a valorizar, quando ambas as moedas EUR/USD estão se a afundar como nunca visto?

USD - Com decaimento logaritmico.
http://pricedingold.com/charts/USD-predict.pdf

Comparação de várias moedas
http://pricedingold.com/charts/Currencies-1998.png

Sérgio disse...

Gráficos muito interessantes, é a representação gráfica do que o comum cidadão sente quando vai às compras!
Claro que há uma elite à parte que tem sempre uma mãozinha:
"Parte da ajuda de 80 mil milhões será para a banca" in D.E. de hoje.