terça-feira, 22 de junho de 2010

Dois euros

Já tem sido especulado nos últimos meses o fim do euro nos moldes actuais. Neste artigo do Telegraph é abordada a hipótese de um euro a duas velocidades: uma para o core da Europa e o restante para os iPIGS.

The creation of a "super-euro" zone would initially include France, Germany, Holland, Austria, Denmark and Finland.

The likes of Greece, Spain, Italy, Portugal and even Ireland would be left in a larger rump mostly Mediterranean grouping.

The official said French and German officials had first spent months examining how to exclude poor-performing states from the euro but decided it was not feasible.


Esta solução vem de encontro à hipótese que aqui apresentei há uns meses de ser mais fácil a Alemanha sair do Euro do que a Grécia ou Portugal. O Euro ficaria como está e seria criada uma nova moeda para os países "fortes" (acho estranho incluir-se a França ou a Austria nessa lista de países mas enfim). Os iPIGS ficariam depois livres de destruir a sua moeda numa correria à impressora para limpar as suas dívidas.

6 comentários:

andrecruzzzz disse...

1-e a divida dos piigs aos bancos alemaes e franceses??
Ficaria no euro mau ou no euro bom? É q quer m parecer q os piigs nao aceitariam lá mt bem q as s dividas ficassem denominadas no euro fr.alemão.
2- acha q seria uma saída d surpresa ou d dialogo?
3- a ser uma saída à forca, temo bem q poderiamos tb ter guerras comerciais entre as 2 zonas

Nuno Branco disse...

Boas perguntas :)

1) Penso que ficariam no euro dos PIIGS, de outra forma não faria sentido para ninguém. A passarem para a moeda forte teria de ser (na altura ou mais tarde) renegociada a dívida.

2) Penso que seria suave para evitar panicos. Estas notícias que vão saindo fazem parte da estratégia.

3) Mesmo que seja à força, o espaço de livre transição de bens e pessoas já é hoje maior que a zona euro e não deve ser afectado por isto (embora um regresso ao nacionalismo primitivo não seja de descartar o que pode realmente afectar o comércio).

andrecruzzzz disse...

1_ será q frança e alemanha teriam condiçoes d suportar as perdas d 30% nos s bancos c a divida dos piigs?
2- o nuno acredita q seria suave, isto é, c alguma forma d pre-informação. eu sinceramente , tenho dificuldades em acreditar pois, acho q gerará uma corrida aos bancos nos piigs(eu pelo menos buscaria por as m poupanças numa moeda d refugio, ex.o dólar, q me protegesse d desvalorização imediata à transição)
3- considerando uma 2-tier euro-zone, como uma "regressao no projecto europeu" não m custa acreditar em restriçoes a importaçoes da alemanha por exemplo s por exemplo ressurgissem restriçoes como aquelas do canalizador polaco(neste caso o portugues)

4- por ultimo resta m dizer q à parte salazar, portugal nao tem historial dchatear verdadeiramente a malta. somos d brandos costumes e por norma preferimos emigrar a chatearmo-nos a sério :-(

Nuno Branco disse...

1) É tão relevante como perguntar se o PIGS tÊm condições para suportar o pagamento da dívida. E não têm, portanto avança-se.

2) A corrida à banca já começou. Basta olhar para um chart EUR/CHF ;)

3) É possível... mas eu sou um optimista.

andrecruzzzz disse...

sim, corrida já começou..o b.c.suiço já nao sabe o q fazer a tantos euros.. para já é só fuga d capitais.. :)

apenas p dizer q referia-me a "à corrida propriamente dita" c todo o anarquismo e panico associado. o grosso das pessoas ainda s desloca ao banco p linfelizmente ou não, este grosso das pessoas nao representar o grosso d capital...

p.s.: p qd uma análise técnica sua d ouro e prata?
cumprimentos

Paulo disse...

É evidente que há, e vai haver sempre disparidades entre países, pelo que além de um euro a duas velocidades, seria preferível uma Europa a andar no mesmo sentido, ou seja através da aplicação da tão badalada integração política...as velocidades teriam de ser colmatadas por essa via, visto que são as opções políticas a raiz da situação económica em que os países se encontram...