sexta-feira, 17 de setembro de 2010

6.07

A última vez que vi este número, lá para meio de Janeiro se não me falha a memória, os ministros da grande Europa começaram a juntar-se todos para explicar como não era preciso salvar a Grécia.

A coisa correu tão bem que decidiram mudar de estratégia para o caso português: fazer de conta que não se passa nada a ver se a coisa pega. O spread entre a dívida portuguesa e alemã é hoje maior do que era o spread para a dívida grega em Janeiro.

A Irlanda, confesso para minha surpresa, não está melhor como tinha ontem indicado.

6 comentários:

Rogério disse...

Os 6% consolidados estão para a divida soberana como a heroína está para o toxicodependente, ou seja, ponto sem retorno.

Nuno Branco disse...

Penso que sim, mas por esta altura o BCE ainda deve vir fazer uma intervençãozinha a ver se acalma o bixo.

Mas acho difícil passarmos este Natal ainda sem o FMI ou a UE a mandar no burgo.

The Engineer disse...

A única pergunta é: até quando?

Até quando teremos intervenções
Até quando teremos manipulações
Até quando teremos mentiras
Até quando teremos fraudes

It'll pop out all at once.

Rogério disse...

Até quando, não sei. Se fosse feita a minha vontade o FMI já cá estava há muito tempo. Como as minhas vontades deixaram de ser feitas no dia em que descobri que o Pai Natal não existia, talvez eles apareçam na consoada de Natal e deste modo seja cumprida a profecia do Nuno Branco.

Rogério disse...

O problema é se os Camones trazem na bagagem medidas frouxas do tipo baixar salários à função pública ou pagar 13º e 14º mês com OTs.

Espera aí!
Baixar salários não é mau...

Mas bom, bom, bom, mesmo muito bom assim para o ponto caramelo, para além de baixar os salários aos funcionários públicos era acabar com um sem fim de Ministérios, Instituições, Fundações, serviços e empresas públicas que competem directamente com o sector privado e outras tantas que nem sequer fazem sentido de existir. Isso sim, isso é que era o verdadeiro incentivo para a criação de riqueza.

Li algures uma frase de um homem que entrava num supermercado que dizia mais ou menos isto:
“- Vejam, tanta coisa que não preciso!”
Quando vou a uma Câmara Municipal entre vários palavrões à mistura só me apetece dizer isto:
“ - Vejam, tantos parasitas aqui à boa vida e esta instituição nem era precisa!”

Nuno desculpa o desabafo.
Se incomodou ou foi inoportuno, apaga esta mensagem.

Ah! Já me esquecia…
Como pedir desejos ainda não paga imposto e eu comi sempre a sopa toda, pedia encarecidamente ao menino Jesus que intercedesse por mim junto dos senhores do FMI para acabarem de uma vez por todas com a lei do ordenado mínimo.
Pai-nosso que estais no céu, ...

Nuno Branco disse...

"FMI para acabarem de uma vez por todas com a lei do ordenado mínimo"

Acho que estás realmente a confundir o FMI com o Pai Natal :)