domingo, 12 de Outubro de 2008

Porquê comprar ouro (ou prata)?

Perguntam-me várias vezes como é que se pode comprar ouro ou estar exposto aos metais preciosos. Irei responder a essa questão mais à frente mas é importante perceber porque é que se deve comprar ouro para que não haja ilusões.

Quem quer ganhar "dinheiro" com o ouro (euros) não vale a pena seguir o resto do meu artigo. A unica maneira de ganhar dinheiro com ouro é através de especulação a vender/comprar em pontos chave do mercado ou recurrendo à alavancagem no mercado de futuros ou ETFs (Exchange Traded Funds) próprios. Isto eu considero que é para os profissionais ou os que aspiram a sê-lo e que negoceiam o ouro como se fosse outra commoditie qualquer. É dificil fazer dinheiro com ouro porque ouro é dinheiro.

Muito antes de termos dolares, euros, libras e tudo o mais os estados e os povos negociavam entre si com moedas de ouro e prata. Este era o dinheiro. Este meio de comércio acabou por falhar devido às grandes dividas que os Estados contraíram especialmente durante as Grandes Guerras durante o século XX devido à necessidade de comprar armamento e pagar aos soldados mas haver um limite quanto ao ouro que podiam ter. Assim recorreram à impressão de papel moeda que podia ser criado muito mais facilmente... não querendo entrar aqui em detalhes quero só deixar claro que foi em 1970 que a ligação do sistema monetário com o ouro foi completamente quebrada.

O sistema actual tem portanto pouco mais de 30 anos e o que mais convém recordar da história é que nenhum sistema de papel moeda (vários foram tentados pelos governantes por razões óbvias) sobreviveu. Acredito que a história não se repete mas rima e eventualmente este sistema monetário encontrará o mesmo destino de todos os outros que abandonaram o ouro.

É pois importante pensar quando compramos ouro não que estamos a fazer um investimento mas que estamos a fazer um seguro. Caso o sistema monetário falhe as poupanças estão asseguradas pelo valor intrinseco do ouro. Poderia dar exemplos da Republica Alemã no pós-guerra em que as notas do Estado não valiam rigorosamente nada (eram queimadas para aquecer as pessoas nas noites frias) mas temos um exemplo bem mais recente que é o da Islândia. Em dois ou três dias quem tinha as suas poupanças nos bancos Islandeses perdeu grande parte da poupança acumulada devido à desvalorização da moeda, quando assim acontece apenas os bens físicos de alguém valem alguma coisa e o ouro é dos mais valiosos e mais fáceis de guardar (devido ao reduzido volume) e é por isso que o recomendo.

Se algum dia virmos a onça de ouro a valer 5000 euros não foi o ouro que subiu muito de preço mas sim o euro que perdeu muito valor. Acredito que atingiremos esses valores pois os bancos centrair tentarão baixar os valores da moeda para ajudar a pagar as dívidas contraídas por todos. Quando os nossos pais/avós compraram vivendas por 5 mil contos e hoje elas valem 100 mil contos em grande parte não foi a casa que valorizou mas a moeda - o escudo - que perdeu valor e é isto que nos vai ajudar a sair da dívida, para os nossos filhos os 100 ou 200 mil euros por que se compram casas hoje vão também ser valores ridiculamente baixos para uma casa e portanto mais fácil de pagar para quem contraiu a divida originalmente.

Obviamente que o efeito é maléfico para quem poupa. Se deixarmos hoje 100 mil euros debaixo do colchão daqui a 20 ou 30 anos pouco valerão. Mesmo num depósito a prazo com o BCE a tentar reduzir as taxas de referência não valerá muito mais, nem o milagre do juro composto nos pode salvar. No entanto o ouro terá sempre o seu valor intrínseco e funciona como uma forma de poupança além do ponto anterior em que nos protege de uma falha sistémica no sistema monetário.

Os valores altos que estamos a ver agora para o ouro (máximos históricos em euros) são próprios de um clima de pânico em que a confiança no sistema foi perdida. Se o sistema conseguir ultrapassar esta crise é provável que não voltemos a ver novamente estes valores nos próximos 20 anos e não posso obviamente dar garantias se o preço, quando medido em euros, vai para cima ou para baixo. No entanto, o que é mais fácil de prever é que se hoje uma onça de ouro compra cerca de 70 Kg de carne de vaca então no futuro continuará a fazer o mesmo - é assim o seu papel de guardador de riqueza.

Estará sujeito às pressões inflacionárias e deflacionárias tal como todos os outros produtos do nosso dia a dia (não nos conseguirá proteger dos aumentos do petróleo se estes forem produtos de um diferente equilibrio da procura/oferta e não mereamente da inflação) e assim será até ao sistema falhar e continuará a proteger-nos contra as medidas inflacionárias dos estados e bancos centrais.

É preciso lembrarmo-nos da analogia do seguro. Provavelmente, tal como no seguro de uma casa, não vamos gostar do dia em que ele for activado (como não gostamos que a casa pegue fogo só para ter o dinheiro do seguro) mas vamos ficar contentes de o ter feito em tempo util.

Sem comentários: